Por que casar?

O casamento deve estar apoiado em diversos pilares essenciais para seu sucesso e que precisam estar equilibrados para que o casal funcione verdadeiramente como parceiros

Por Lou de Olivier | Adaptação web Tayla Carolina

Notei que todos, incluindo o professor, me olhavam com expressão de “não estou entendendo”, mas eu prossegui:

– É preciso perceber que, ao se casar no civil, assina-se um contrato repleto de regras, cláusulas que, se não forem cumpridas à risca, justificam um divórcio, processos e outras situações afins.

Se o casal também se casa na igreja, assume então o elo espiritual segundo suas crenças. Ainda que não se submetam a nenhum contrato ou ritual, o simples fato de morarem juntos já implica divisão de espaço, gastos, lucros, ou seja, passam a investir para o bem estar do casal.

Como o “senhor” pode resumir tudo isso ao simples fato de “unir dois seres que se amam?” A resposta do professor foi:

– Como sempre, a mocinha aqui está tentando tumultuar a aula, mas vamos continuar com nosso raciocínio inicial…

Porém, eu continuei:

– Eu quero completar meu raciocínio, professor. Acho que, para se casar, as pessoas deveriam cursar uma faculdade onde aprenderiam economia doméstica, primeiros socorros, culinária, conceitos básicos de Psicologia, entre outras matérias que são essenciais ao sucesso de um casamento. Dessa forma entrariam no relacionamento de forma consciente e não de forma alienada como a maioria entra e se descobre tarde demais que não sabia nada de convivência, educação de filhos e outros assuntos pertinentes à vida a dois.

– Mas de onde você está tirando tudo isso, menina?

– Ora, professor, da minha cabeça, é obvio!

Nessas alturas a classe explodiu em gargalhadas e, nesse clima, o professor expulsou-me da sala de aula, pois eu estava “tumultuando”. Eu saí, mas nunca deixei de pensar dessa forma, hoje, 40 anos após, ainda penso assim e estou relatando isso como uma introdução ao tema deste artigo.

 

Para ler esse texto na íntegra, compre a revista Psique – Ed. 146

 

*Lou de Olivier é multiterapeuta, psicopedagoga, psicoterapeuta, especialista em Medicina Comportamental, bacharel em Artes Cênicas e Artes Visuais. Detectora do distúrbio da dislexia adquirida/Acquired Dyslexia, precursora da Multiterapia, introdutora da Brinquedoteca aliada à aprendizagem no Brasil e Europa e criadora do método Terapia do Equilíbrio Total/Universal. http://loudeolivier.com